Cannabis.com.pt
Novo Fórum em:

forum.cannabis.com.pt

As inevitáveis comparações

Ir em baixo

As inevitáveis comparações

Mensagem por WhitBud em Ter Ago 11, 2009 3:59 pm

As comparações são inevitáveis e toda a gente gosta de puxar dos números, portanto, vamos a elas:

* Mortes relacionadas com o tabagismo = 4,9 milhões de pessoas por ano*.
* Mortes relacionadas com o alcoolismo = 1,8 milhões de pessoas por ano*.
* Mortes por subalimentação = 3,4 milhões de crianças por ano*.
* Mortes relacionadas com a obesidade = mais de 540 mil pessoas por ano, só na Europa e na América do Norte*.
* Mortes por falta de condições sanitárias mínimas e consumo de águas poluídas = 1,7 milhões de pessoas por ano*.
* Mortes por acidentes de viação = 1,26 milhões de pessoas no ano 2000*.
* Civis Mortos na Guerra do Iraque desde o início do actual conflito até Março de 2007 = entre 58 476 e 64 273**.
* Mortes relacionadas com o consumo de heroína = 7 516 casos de overdose em toda a Europa ***.
* Mortes relacionadas com o consumo de canábis = ...
Ninguém diz, ninguém sabe, e esta droga nem sequer aparece no capítulo “Doenças infecto-contagiosas e mortes relacionadas com o consumo de droga” do Relatório Anual 2006 da UE, pelo que se intui que não há casos registados ou que os que há são tão poucos que nem merecem referência.

E no entanto, não se proíbe as pessoas de beber o seu shot de bagaço nos cafés, ou de apanharem uma bebedeira numa noite de copos; não se proíbe a circulação dos automóveis, mesmo sabendo que estão a destruir o planeta e a prejudicar todos os seres que nele vivem; não se proíbem os McDonalds nem os alimentos fritos. Os políticos, tão preocupados com a saúde dos seus cidadãos, deixam-nos entregues ao mercado clandestino e desregulado, e toca a aumentar os impostos porque o buraco financeiro do Estado é cada vez maior.

A canábis usa-se há mais de dez mil anos para fins místicos, religiosos, recreativos, ou mesmo industriais.
Heródoto, 2 500 anos a.C, deixou registo escrito de que os Escitas inalavam o vapor e o fumo das sementes aquecidas para atingir estados alterados de consciência. É considerada uma planta sagrada pelos sadhus (ou homens santos) indianos – que se dedicam a praticar yoga e a meditar.

De uma só planta, a da Canábis Sativa L., é possível extrair mais de 25 mil produtos diferentes, desde fibras, óleos, sabão em pó e até combustíveis.

Quanto aos efeitos psicológicos que advêm do seu consumo e que desde há muitos anos servem de argumento aos detractores da canábis, o próprio IDT confessa “A existência de uma psicose cannábica crónica é controversa e actualmente admite-se que só apareceria em indivíduos propensos a padecer de algum transtorno psicológico.”
No mesmo documento, o IDT conclui que “tendo em conta o elevado número de pessoas que consomem derivados da cannabis, são muito poucas as que procuram ajuda para deixar o consumo, facto que indica o seu escasso poder de dependência.”[1]

Por esta lógica, a canábis é uma droga que, na verdade, não supõe grande ameaça.
Mas enquanto a América do Norte, com as suas políticas repressivas, apresenta os maiores índices de consumo de canábis do planeta, a Holanda encontra-se a meio da tabela no que se refere ao consumo entre os jovens europeus.
Talvez o cerne da questão seja que não interessa deixar que os homens usem a canábis livremente, porque há quem ganhe muito dinheiro com produtos alternativos ou mesmo com a proibição.

Desde 2001, a lei portuguesa[2] prevê que qualquer pessoa possa ter em sua posse, sem consequências jurídicas, óleo, resina ou “folhas e sumidades floridas ou frutificadas da planta” de canábis que “não poderão exceder a quantidade necessária para o consumo médio individual durante o período de 10 dias”.

Acontece que esta lei apenas finge uma falsa descriminalização do consumo, visto que esse “consumo médio” de que falam é impreciso e relativo, e a detenção de mais do que a quantidade mínima, ainda que comprovadamente e exclusivamente para "consumo individual", é um crime.

Além do mais, a maior parte dos consumidores muitas vezes prefere adquirir maiores quantidades para não ter de se preocupar com uma nova ida ao “dealer” durante o maior período de tempo possível.
Mas, pior que tudo, num paradoxo difícil de destrinçar, esta lei diz-nos que podemos consumir uma substância, mas que tanto o seu cultivo como a sua venda (e compra?) constituem crimes puníveis com prisão... e sendo que a venda não é legal mas o comércio existe, deixam poucas alternativas aos consumidores que, para se abastecerem, das duas uma: ou cultivam, ou terão de ir comprar no mercado clandestino, porque outro não há. Falando claramente, a isto chama-se empurrar os consumidores para os braços dos traficantes.

E se não isto é incitar ao crime, então, o que é?


* Dados retirados do “The World Health Report 2002”, da ** Números apresentado pela ONG Iraq Body Count
www.iraqbodycount.net
*** Número apresentado no Relatório Anual 2006 da UE
http://ar2006.emcdda.europa.eu/pt/page011-pt.html#10.3 Organização Mundial da Saúde (OMS) http://whqlibdoc.who.int/hq/2002/WHO_WHR_02.1.pdf


[1] www.idt.pt > Início > InfoDrogas > As Substâncias > Cannabináceas
[2] Lei 30/2000 – “Descriminalização do consumo de drogas”
www.idt.pt/id.asp?id=p2p44p74

Fonte: MgmLisboa
avatar
WhitBud

Mensagens : 190
Data de inscrição : 06/07/2009

Sistema de Cultivo
Tipo de Cultivo:
Iluminação:
Substrato:

http://www.cannabis.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As inevitáveis comparações

Mensagem por space 333 em Qua Ago 19, 2009 7:39 pm

" para fins religiosos," não da para explicares melhor essa parte......

atão não sabes que isto é assim quando mais sair melhor olha em relação a gasolina a que tempos que eles tem outras opções mas não convêm porque ja viste a quantidade de pessoas que ficavam sem os seus empregos e aqueles que ficavam sem mil milhões todos os dias dos lucros da venda da gasolina e seus derivados………..

….vamos ver agora com o aquecimento global para ver se eles abrem a pestana…………
afro

space 333

Mensagens : 15
Data de inscrição : 05/08/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum